Terça, 25 de Janeiro de 2022
28°

Poucas nuvens

Manhuaçu - MG

Anúncio
Internacional Internacional

Enfermeiro cria obras de arte com frascos de vacinas contra covid-19

Canadense recicla materiais limpos que não tiveram contato com pacientes para criar quadros e arrecadar dinheiro para associação

12/03/2021 às 02h10
Por: Redação Fonte: R7 - João Melo, Do R7*
Compartilhe:
Enfermeiro produz obras de arte há cerca de três anos - (Foto: Reprodução/Instagram)
Enfermeiro produz obras de arte há cerca de três anos - (Foto: Reprodução/Instagram)

Um enfermeiro canadense que está na linha de frente do combate à covid-19 no país decidiu utilizar os tão valorizados frascos de vacina para fazer obras de arte.

Shawn Toovey trata de pacientes infectados pela doença na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital St. Paul, em Vancouver. Lá, o enfermeiro de 51 anos conta com a ajuda de colegas para coletar objetos plásticos que não tiveram contato com pacientes para usá-los em seus quadros.

Leia mais: Covid-19: Noruega suspende vacina da AstraZeneca

“Jogamos toneladas e toneladas de lixo fora todos os dias, e eu sempre trago para casa bolsas cheias de material reciclável. Tenho milhares e milhares de peças de plástico para trabalhar e muitas ideias”, destacou o enfermeiro em entrevista à CBC News.

Uma de suas obras mais famosas é a de um coração vermelho formado por tampas de medicamentos utilizados no tratamento de pacientes que tiveram covid-19. O quadro agora eserá o prêmio de uma rifa para arrecadar fundos para a Associação Canadense de Saúde Mental.

O enfermeiro destaca que, atualmente, o objeto que mais tem sido usado para a sua produção artística são os frascos da vacina Pfizer-BioNTech usada para combater o coronavírus. De acordo com o artista, cada recipiente do medicamento simboliza esperança nas suas obras.

A ideia de começar a produzir essas obras veio após Shawn, há cerca de três anos, precisar ficar afastado por 3 meses do trabalho porque estava sofrendo muito com o estresse causado pela rotina no hospital.

Leia mais: Mianmar acusa Suu Kyi de aceitar subornos de R$ 3,4 milhões

Juntando esse fator com o seu gosto pela reciclagem e pela arte, o enfermeiro decidiu que o fazer artístico passaria a integrar a sua rotina diária para aliviar a pressão sofrida durante o expediente.

Com a chegada da pandemia, Toovey previu que novamente passaria por um período de muito estresse e ansiedade, e que ao mesmo tempo a sua arte eria uma saída para essas dificuldades. Em Novembro, inclusive, o enfermeiro alugou um pequeno estúdio para continuar produzindo as suas obras.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Pablo Marques

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias