Segunda, 29 de Novembro de 2021
22°

Poucas nuvens

Manhuaçu - MG

Religião TECNOLOGIA

Alagoano usa as redes sociais para divulgar a história da Assembleia de Deus

O conteúdo criado pelo Aux. Ricardo Santos pode ser acessado no Instagram e Facebook

27/08/2021 às 11h09
Por: Ana Paula Costa Fonte: Assessoria
Compartilhe:
Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

O obreiro auxiliar da Assembleia de Deus no Tabuleiro do Martins, Ricardo Santos, lançou um projeto inovador com o intuito de valorizar a história da Assembleia de Deus por meio das redes sociais. No projeto Chama Assembleiana, ele une suas habilidades como profissional de Marketing à sua paixão por esta que é a maior denominação pentecostal no Brasil para criar um conteúdo único para que mais assembleianos conheçam a história da sua igreja.

Segundo ele, a iniciativa busca propagar a chama pentecostal na sociedade e divulgar fatos históricos das Assembleias de Deus pouco conhecidos por seus membros. Partindo dessa ideia, o jovem obreiro criou um perfil no Instagram e uma página no Facebook dedicadas ao tema.

“A ideia é usar as novas tecnologias para propagar a história da nossa igreja, para que essa mensagem chegue ao maior número de pessoas. Isso será feito através de vídeos, fotos e conteúdos diversos sobre a história da Assembleia de Deus”, explica Ricardo.

Além de auxiliar, Ricardo Santos serve a Deus como secretário, professor da Escola Bíblica Dominical – EBD e Relações Públicas no grupo de missões de sua congregação. Ele ressalta que quem desejar contribuir com o projeto basta entrar em contato pelo número (82) 99694-7620.

O QUE É?
Projeto Chama Assembleiana: Projeto que tem como objetivo propagar nas mídias sociais a chama pentecostal e a história da Assembleia de Deus no Brasil.

QUEM FAZ?
Ricardo Santos: Obreiro-auxiliar da Assembleia de Deus no Tabuleiro do Martins, secretário, professor de EBD e Relações Públicas no grupo de missões.

SIGA NO INSTAGRAM: @chamaassembeiana 

Da Redação/AD Alagoas
[email protected]

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários